quinta-feira, 21 de julho de 2011

Memórias da Adolescência (4) - Às escondidas, mas...

Tudo bem que fazíamos mutas coisas às escondidas de nossos pais... É verdade mesmo, pois nem sempre eles iriam concordar com nossas vontades. Uma festa uma vez por mês? Era pouco pra nós... Biquinis? Claro que sim, claro que achávamos normal... Passear de carro? Pra nós, super tranquilo. Enfim... Tudo pra nós era normal. Adolescente é assim mesmo... Mas, não era normal pra alguns de nossos pais...

Logo, omitíamos algumas coisas, mas... Não contávamos com alguns detalhes (ou pessoas)...
Meu irmão mais velho e um amigo, ficavam "espreitando" a gente, na esquina, por trás de um muro... Aí se entrávamos em um carro de algum menino, ele ia "enredar" a meu pai..

Eu usava biquíni escondido de meus pais. Minha mãe, só liberou depois de uns tempos. Mas, antes da liberação, eu escondia os biquines molhados nas gavetas de meu birô. Meu irmão, um dia foi lá, pegou um, e, mostrou aos meus pais na hora do almoço com todos à mesa. Eu quase o matei...

Ele era mesmo um chatinho (mas agora ele é meu amigão!). Em Pirangi, nos veraneios,  eu ia pra uns "arrastas", também escondido. Lembro, de pelo menos uma vez, ele levando meu pai "pela mão" e... Iam me buscar... E sempre na hora que eu estava na maior diversão, toda "crente que abafa" pensando que tinha conseguido enganar todos da minha casa... Na verdade, eu não mentia, apenas não dizia...

Pois é, mas desde pequena que eu batia no pobre, de repente essa foi a vingança dele... Vale salientar que, depois que ele cresceu mais, passou a bater em mim, e eu tinha que correr porque perdia pra ele em termos de força. A minha salvação era que ele tinha os cabelos grandes, o que facilitava que eu os puxasse e depois corresse... 

Mas, esse "meu espião" adquiriu grande força, não apenas física, pois sabia como me atingir. Imaginem que no tal sistema de ventilação que tinha na nossa casa (e que já falei sobre isso em outro texto), tipo um sótão, ele conseguia jogar farinha no meu quarto quando eu pensava que estava a salvo dele, lá trancada. 

E o pior: Quando eu saia de casa ele detonava, junto com os amigos, alguma coisa minha. A vingança maior dele foi quando passou pasta de dentes, imitando um bigode no meu poster de Romeu... Ah danado! 
Meu poster antes de ser "detonado" por my brother!
O cartaz do filme - http://filmow.com/romeu-e-julieta-t7689/















4 comentários:

  1. Hahaha!!! Que irmão péssimo!!! Deus me livre... Pior é que tive um parecido, que cresceu e reverteu o jogo, porque passou a ter mais força. É horrível quando eles ficam maior e mais forte que a gente!!!

    ResponderExcluir
  2. Ana Célia também não facilitava para o rapaz aí ele quando pode se vingou.Mas claro que ela sempre dava um jeito de não ficar apanhada!!!

    ResponderExcluir
  3. Mara Lígia (Mara)29 de julho de 2011 09:19

    Mas Ana Célia!!! João era dez vezes mais danado do que eu imaginava!! Puxa vida!!!
    Mas essa coisa dos pais proibir isso e aquilo, era muito chato mesmo. Já era dificil fazer certas coisas as escondidas, com um irmão atrapalhando e dedurando, ai é que ficava pior. Também passei por essa situação,meu irmão além de enredar aos meus pais até quando me via ir ao cinema à tarde, por exemplo, ainda tinha os amigos dele que punham mais fogo na fogueira, contando pra ele que tinham me visto passar para ir para algum lugar com minha turma de amigas e que agente ia se encontrar com nossos namorados, veja só que coisa! Ah! eles davam conta do que faziamos e para onde iamos porque agente ia a pé. Esses lugares ( cinema, América, ABC, etc) eram perto de nossas casas. Ele só não jogava farinha em cima de mim, mas era chato do mesmo jeito!!!!!

    ResponderExcluir